Este movimento climático não menciona a guerra – Agita um problema falso a fim de ocultar os verdadeiros

(Por Michel Chossudovsky, in Resistir, 13/03/2019)

Enquanto milhões de pessoas em todo o mundo estarão protestando em 15 de março sob a bandeira do chamado “Aquecimento Global”, as guerras de hoje, incluindo Síria, Iémen, Iraque, Afeganistão, Venezuela, não são mencionadas.

Nem tampouco os perigos de uma Terceira Guerra Mundial que ameaçam o futuro da humanidade. 

O aquecimento global obscurece os perigos da guerra nuclear. De acordo com relatos dos media, o programa de armas nucleares de US$1,2 milhão de milhões da Trump “torna o mundo mais seguro”: 

Em 15 de Março, dezenas de milhares de crianças em 71 países deixarão a escola em apoio ao que é descrito como “um dos maiores protestos ambientais da história”. 

Se bem que o emprego e a justiça façam parte da campanha, juntamente com o clima, a questão da pobreza e do desemprego mundial resultante da imposição de reformas neoliberais é desvirtuada. 

Meados de Março de 2019: Há ameaças militares em andamento contra a Venezuela e o Irão. 

Uma guerra patrocinada pelos EUA está prevista para Março de 2019? 

É uma questão preocupante que deveria ser objecto de um movimento de protesto mundial? 

O ciberataque à rede elétrica da Venezuela, que afectou até 80% do país, constitui de facto um acto de guerra. 

Em 10 de Março, Washington confirmou sua intenção de realizar uma mudança de regime na Venezuela. O secretário de Estado Mike Pompeo pediu ao Congresso dos Estados Unidos que cabimentasse 500 milhões de dólares para “restaurar a economia da nação venezuelana (e) ajudar Juan Guaido”. Tal declaração deve ser interpretada como uma autêntica “declaração de guerra”. 

O conselheiro de Segurança Nacional, John Bolton, e o secretário de Estado, Mike Pompeo, haviam confirmado anteriormente sua intenção de travar uma guerra contra o Irão. 

Infelizmente, esses planos de guerra parecem ter sido ofuscados por uma campanha altamente divulgada contra o aquecimento global. 

Apesar de clima, empregos e justiça serem mencionados, a palavra “Paz” é omitida de modo displicente. 

Não é demasiado tarde para rectificar: DIGA NÃO À GUERRA em 15 de Março 
Nossa proposta é que no dia 15 de Março esta campanha ambiental mundial incorpore, ao lado das questões climáticas, um firme compromisso contra as guerras lideradas pelos EUA e as políticas neoliberais que contribuem para empobrecer as pessoas em todo o mundo. 

Além disso, o People’s Climate Movement deveria tomar posição contra a utilização do aparalho policial para combater aqueles que exigem empregos e justiça, incluindo o movimento Coletes Amarelos. 

Nem é preciso dizer que os impactos ambientais das guerras lideradas pelos EUA e pela NATO também devem ser abordados. 

Embora a Mudança Climática possa ser uma preocupação legítima, por que é que esses movimentos de protesto se limitam ao aquecimento global?   A resposta é que muitas das principais organizações envolvidas são generosamente financiadas por fundações da Wall Street e instituições de caridade corporativas, incluindo os Rockefellers, Tides, Soros, e outros.


Fonte aqui.




Advertisements

Um pensamento sobre “Este movimento climático não menciona a guerra – Agita um problema falso a fim de ocultar os verdadeiros

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.